terça-feira, setembro 29

“ASHANINKA”, A NOVA COLEÇÃO DE VERÃO 2016 DA OSKLEN


A nova coleção Verão 2016 da Osklen já chegou às lojas de Curitiba do Pátio Batel e ParkshoppingBarigüi. Chamada de “Ashaninka”, a novidade foi inspirada na tribo que vive na Amazônia brasileira e peruana, considerada uma das maiores tribos da América do Sul.

A marca, que há vários anos se envolve com tribos indígenas através do Instituto-E, acredita na importância da preservação da diversidade étnica e cultural. “São povos que trazem a sabedoria de seus ancestrais no manejo sustentável dos recursos naturais”, afirma Oskar Metsavaht. “Sempre quis fazer uma coleção que expressasse essa cultura. Ashaninka é uma tribo que descende diretamente da civilização inca, têm muita sabedoria e expressam a beleza no gesto, na cultura e no modo como se vestem”, conta.

A nova coleção traz peças que se destacam pelas formas simples e ricas de simbologia. Nos recortes estão estampas inspiradas no grafismo, paisagens e adornos da tribo Ashaninka, com silhuetas das mais ajustadas às formas fluidas, buscando conforto em todas as peças. Tudo desenvolvido em tecidos como algodão, linho, seda, viscose, tencel e cupro, além de matérias primas sustentáveis como meia-malha PET, malha rústica PET, flamê orgânico, malha sargeada PET, e-denin, palha de seda, salmão e pirarucu. A paleta de cores vai desde o vermelho urucum, verde esmeralda, azul índico, azul oceans, amarelo-ouro, terra, até o cru e o offwhite.

Recentemente, no último dia 14 de setembro, a Osklen compareceu ao New York Fashion Week (NYFW) e apresentou sua aposta para o verão brasileiro de 2016. Dessa vez a marca optou por realizar uma presentation, um formato que possibilitou a imprensa ver de perto todos os detalhes da coleção inspirada na tribo Ashaninka. Sucesso que foi garantido na semana de moda mais famosa do país.

Para o mercado internacional, Oskar Metsavaht desdobrou o verão brasileiro da marca em roupas para a mulher que vai visitar a aldeia. Ela chega mais urbana com looks compostos por jeans de chamois desconstruídos e camisas de linho, e, conforme vai se integrando à tribo, incorpora ao guarda-roupa elementos indígenas. Na mala ela leva peças com forte tendência militar para os momentos de caça e exploração da tribo. Os animais típicos da região pontuam blusas e vestidos. Penas, tatuagens gráficas e até os ponchos típicos dos Ashaninka conferem ao “figurino” o espírito da tribo.

   


Nenhum comentário: